Utilizamos cookies para possibilitar e aprimorar sua experiência em nosso site, de acordo com nossas políticas de privacidade e cookies.

Vale a pena aceitar vouchers?

 Vale a pena aceitar vouchers?

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Vouchers são cartões de benefícios oferecidos pelos empregadores aos seus colaboradores. Eles possuem intuito de compra de produtos específicos, como refeição e alimentação, por exemplo;

2.

Para aceitar voucher é necessário que o seu estabelecimento tenha CNPJ, uma maquininha de cartão habilitada, registro CNAE;

3.

Entenda se vale a pena para o seu negócio. Caso você esteja estruturando o seu negócio e aprendendo a cuidar do fluxo de caixa, você pode se atrapalhar aceitando voucher.

Os tipos de cartões voucher

Cada voucher tem finalidade específica para uma compra. Exemplos práticos:

O Vale Alimentação está focado em garantir a compra de gêneros alimentícios. De modo geral, são recorrentes em mercados, sacolões, mercearias, entre outros estabelecimentos.

Já o Vale Refeição, em contrapartida, serve para comprar refeições prontas. É aquele cartão que normalmente usam para almoços ou jantas em restaurantes, lanchonetes, etc.

Também existe o Vale Cultura, que dá ao trabalhador o acesso a cinemas, teatros, shows, museus e até mesmo compra de livros. O objetivo deste voucher é incentivar os programas culturais brasileiros.

Percebeu que cada um tem a sua finalidade, né? Aqui nesse conteúdo vamos focar no vale refeição e vale alimentação, que são os mais comuns de serem encontrados.

Como aceitar vouchers na sua loja

Para aceitar voucher é necessário que o seu estabelecimento tenha:

  1. CNPJ. Cadastros feitos em pessoa física não conseguem aceitar Voucher.
    Uma maquininha de cartão habilitada (dica: escolhe uma verde!).
  2. Ter registro CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) conforme o tipo de voucher que deseja aceitar.

Esses são três elementos fundamentais para que você consiga aceitar vouchers. Garantindo isso, o próximo passo é habilitar sua maquininha para recebê-los e se cadastrar também no site da empresa de voucher.

Com sua empresa de maquininha o procedimento varia, mas o que fazer no site das empresas mais populares de vouchers a gente te conta aqui:

Alelo: O Alelo é aceito em mais de 500 mil estabelecimentos pelo Brasil, conforme informação da própria empresa. No site da Alelo é possível fazer a habilitação automática para a sua máquina de cartão Stone.

Para agilizar o processo de credenciamento, tenha em mãos os seguintes documentos antes de iniciar

  • CNPJ;
  • CNAE (Verifique aqui se o ramo de atividade do seu estabelecimento pode aceitar Ticket);
  • Número do Banco, agência e Conta Corrente Pessoa Jurídica (Dados do estabelecimento, vinculado ao CNPJ); RG e Data de nascimento dos sócios/representantes legais;
  • Código de afiliação da sua máquina de cartão;
  • Contrato/Estatuto social ou Certificado de Microempreendedor Individual ou Requerimento de empresário

*Estes documentos só serão necessários em caso de informações divergentes

Sodexo: Para começar a aceitar os cartões da Sodexo no seu negócio, é preciso entrar no site da Sodexo e clicar em “credencie-se agora”.

Depois, realize o preenchimento das informações sobre seu e-mail e CNPJ do estabelecimento a ser credenciado.

VR Benefícios: Com a premissa de contratação rápida do serviço e gestão 100% online, a VR tem presença nacional em mais de 400 mil estabelecimentos.

Para começar a aceitar essa bandeira, é preciso selecionar o produto desejado e passar informações básicas sobre o estabelecimento.

Vantagens de aceitar vouchers

Mais vendas: Com o aumento de opções de pagamento, você consequentemente aumenta o público disposto a frequentar o seu estabelecimento. Isso se reflete no maior volume de vendas.

Mais visibilidade: Algumas empresas de voucher disponibilizam até um app com a localização de todos os lugares em que o cartão é aceito.

Menos burocracia: Para o cliente, estar em um lugar que aceite diferentes opções de pagamento pode ser sinônimo de aproximação e praticidade.

Desvantagens de aceitar vouchers

Diferentes taxas
As taxas são negociadas diretamente com as empresas dos vouchers, podendo chegar a até 8%. Isso pode gerar confusão na gestão do caixa e aumentar o custo para os lojistas.

Nem sempre faz sentido para o seu negócio
Caso você esteja estruturando o seu negócio e aprendendo a cuidar do fluxo de caixa, você pode se atrapalhar aceitando voucher. Isso está relacionado com o ponto anterior.
Além disso, é preciso entender se o público da região realmente pede para pagar com voucher. Devido a taxas altas, oferecer essa opção pode sair caro e não trazer um volume suficiente de pessoas para ter retorno positivo.

Cada negócio possui suas características, como perfil de público, faturamento, nível de maturidade e organização, formas de cuidar do fluxo de caixa, entre outros.

Observe, portanto, todos os prós e contras para tomar as melhores decisões – sempre. No caso dos vouchers, se precisar de alguma ajudinha, estamos por aqui para tirar todas as suas dúvidas.

Obrigada pelo papo e boas vendas!

Veja também

8 Comentários

  • É permitido por lei cobrar um percentual a mais sobre o valor da compra quando o cliente opta por pagar com algum Voucher?

    • Oi, André.
      As empresas de voucher apresentam relação comercial direta com os negócios, dessa forma, esse percentual a mais sobre o valor da compra provavelmente deve constar em um contrato específico estabelecido entre elas, e/ou de acordo com o regulamento da empresa de voucher. Um ponto importante é que os “arranjos de voucher” não integram o SPB e, portanto, não são regulados pelo Banco Central. Além disso, para que o desconto seja lícito, o funcionário tem que autorizar. 🙂

  • Boa tarde! ainda sobre cartões vouchers ,afinal uma dúvida , estes cartões devem ser considerados como cartão de débito ou crédito ?
    agradeço se puder me ajudar com essa dúvida!

    • Oi, Patricia. Considerando que os emissores de cartões voucher gerenciam contas de pagamento pré-paga, é necessário que os recursos sejam previamente depositados na conta para que o portador faça uso deste saldo. Então, os vouchers só podem ser utilizados na modalidade débito. 🙂

  • TENHO UM MINIMERCADO, E ACEITO DÉDITO/ CRÉDITO QUALQUER VALOR.
    VOUCHERS SO ACIMA DE 20,00 REAIS.
    POSSO TRABALHAR DESTA MANEIRA? OS VOLCHERS TEM AS TAXAS MUITO ALTA, MAIS A TAXA FIXA QUE VARIA ENTRE 6,50.MEU FLUXO DE VOUCHERS NAO É TÃO GRANDE, DEVIDO A ISSO COLOQUEI UM VALOR MÍNIMO DE COMPRA DE 20 REAIS ASSIM OS VOUCHERS FICA NA CASA DE 12 POR CENTO. DESDE JÁ AGRADEÇO, SE ALGUÉM PUDER ME TIRAR ESTA DÚVIDA. UM OTIMO DIA PRA VOCÊS!

    • Oi Magno, a princípio, entendemos que a prática parece contrária às premissas adotadas pelo mercado e resultaria na imposição de obstáculos à utilização de vouchers nos estabelecimentos comerciais, de modo que, ainda que não haja regulamento específico sobre a questão, a prática possivelmente poderia ser considerada “anticompetitiva” e implicaria violação dos contratos e/ou regulamentos das empresas de voucher.

  • Eu estou na mesma situação do rapaz do mini mercado, coloquei uma cobrança mínima de R$5 para a utilização apenas do vou ou a opção de pelo menos, caso a pessoa não queira comprar os R$5 mínimos cobramos uma parte da taxa da operadora de R$0,95 ou quando a compra é de itens fora da lista de alimentação ou refeição. A medida foi tomada pois temos produtos próximos a R$1,50 onde acabamos pagando para o cliente levar e foi tomada apenas para desencorajar a pessoa a utilizar o VR para esse tipo de compra ou valor baixo, até aceito os 6,50% cobrado por venda mais o que mata são esses quase R$1 cobrado além da taxa em cima do produto o que inviabiliza a venda de produtos abaixo desse valor de R$5, mesmo alguns produtos ainda acabo vendendo quase de graça pela margem de lucro. Vi em um artigo do JUSBR que isso seria uma pratica abusiva e não quero ficar fora da lei e realmente pensamos em parar de aceitar o cartão correndo o risco de perder clientes porém a lei 13455/20167 autoriza o fornecedor a repassar a taxa cobrada pela operadora de cartão. Realmente estou muito confuso e preocupado em estar cometendo uma pratica ilegal. Poderia tirar essa duvida pra mim por favor. Não acho justo aumentar o preço de todos os produtos para todos os clientes para que possa compensar o valor perdido que as vezes acaba sendo mais vantagem dar o produto de graça para compensar o voucher.

    • Oi Marcio, tendo em vista que as empresas de voucher estabelecem relação direta com o estabelecimento comercial, sendo a Stone prestadora do serviço de rede, nossa orientação deve ser: (i) que seja verificado o contrato firmado com a empresa de voucher; e (ii) que eventuais dúvidas sejam encaminhadas diretamente à empresa de voucher.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja Stone e receba sua maquininha amanhã

Quer receber conteúdo de empreendedorismo sem conversa fiada no seu e-mail?

Inscrevendo-se em nossa newsletter você autoriza que o Papo de Balcão utilize os Dados Pessoais fornecidos acima para envio de conteúdo informativo e publicitário relacionado à educação financeira e negócios, nos termos de nosso Aviso de Privacidade.