Utilizamos cookies para possibilitar e aprimorar sua experiência em nosso site, de acordo com nossas políticas de privacidade e cookies.

Registro de recebíveis: o que é e o que muda na vida do lojista?

 Registro de recebíveis: o que é e o que muda na vida do lojista?

Vem descobrir o que é o registro de recebíveis, nova regulamentação instituída pelo Banco Central do Brasil e quais as mudanças para o lojista!

No post de hoje, vamos falar sobre o registro de recebíveis, e para isso vamos explicar o que é a  registradora. Você já sabe o que é isso? Ela chega com o objetivo de estabelecer algumas diretrizes para o mercado de recebíveis brasileiro. 

Além de explicarmos o que é a registradora, também vamos te contar o que muda na vida do lojista com essa nova regulamentação. Quer saber mais? Então, vem ler! 

O que é a registradora?

A registradora é uma infraestrutura que o Banco Central do Brasil (BACEN) instituiu para regulamentar o mercado de recebíveis de cartão no país. A partir do dia 7 de junho, portanto, toda a transação capturada pelas adquirentes por meio das maquininhas ou online precisará ser registrada nesse ambiente. 

Portanto, a registradora é uma forma que o Banco Central encontrou de organizar e compilar as informações dos recebíveis e os serviços prestados com eles.

Para você entender melhor, vamos fazer uma analogia? A registradora funciona como uma espécie de cartório, só que de recebíveis. No cartório, o imóvel é registrado em uma matrícula com todas as informações referentes a ele (como a sua metragem, qual a parte construída e se ele faz parte de um condomínio). 

Além disso, tudo o que ocorre naquele imóvel, como venda e garantia, é cadastrado nessa matrícula. Assim, o documento contém um histórico do que se passou com aquele imóvel.

E com os recebíveis?

Com os recebíveis, o processo funcionará da mesma forma!

As adquirentes devem registrar os recebíveis no nome do titular. A diferença é que, no caso das registradoras, o nome do cadastro será Unidade de Recebível (UR) e não matrícula (como no cartório). 

Uma vez que a UR é criada, ela traz algumas informações básicas, como: quem é o “dono” do recebível, a credenciadora que capturou a transação, o arranjo e a data que o lojista espera receber o pagamento daquele recebível. 

Além disso, assim como acontece com a matrícula de um imóvel, qualquer operação ou negociação que ocorrer com relação ao recebível vai ser cadastrado nessa UR. Portanto, quando o cliente decidir antecipar os recebíveis ou oferecê-los como garantia em operações de empréstimo, esses processos vão ficar registradas no recebível.

O melhor é que o registro dos recebíveis é feito eletronicamente, com um processamento em poucos segundos e não oferece custos para o lojista!

O que vai mudar na vida do lojista?

Com a nova infraestrutura estabelecida, vão acontecer mudanças que podem interferir na vida do lojista. Vamos ver quais são elas?

Antecipação e Anuência

Com a registradora, o lojista poderá pedir a antecipação de um recebível capturado por determinada adquirente a qualquer outra instituição que tenha interesse em prestar esse serviço financeiro. 

Mas isso só vai acontecer caso a instituição que antecipará o recebível consiga ter acesso na registradora a informações das UR que o lojista tem a receber.

A partir disso, a instituição consegue visualizar os recebíveis futuros e, então, realizar uma oferta para antecipá-los. 

É importante deixar claro que o acesso a informações das unidades de recebíveis do lojista na registradora não será pública. Afinal, estamos falando de informações financeiras sensíveis que refletem o fluxo de recebíveis do lojista. 

Portanto, para que qualquer participante no mercado tenha acesso ao fluxo de recebíveis do lojista, ele precisará ter uma autorização ou anuência para visualizar essa agenda.

Crédito

Já em relação ao crédito, a principal mudança é que o lojista conseguirá oferecer os seus recebíveis como garantia para mais de uma instituição financeira que tenha lhe concedido o empréstimo. 

No antigo modelo de trava bancária, isso não era possível. Ou seja, todo o fluxo de recebíveis ficava restrito a apenas um empréstimo. 

Na prática, se o lojista tinha uma agenda de recebíveis de R$ 15.000 das instituições de pagamento mas detinha um crédito de R$ 5.000, toda a sua agenda era garantida a um único credor. 

Isso ainda que o lojista necessitasse de apenas ⅓ dela para executar e quitar o empréstimo, em caso de inadimplência. . 

Com a registradora, esse cenário muda, ou seja, o cliente tem o seu fluxo e agenda garantidos ao credor conforme o saldo devedor da operação. Isso lhe permite tomar empréstimos com garantia de recebíveis de cartão de crédito em mais de uma instituição financeira ou de pagamento no mercado! No exemplo acima, o lojista poderia usar o R$ 10.000 restantes para outras operações de crédito!

E aí, tirou suas dúvidas sobre a registradora? Se você gostou deste conteúdo, talvez se interesse por este também: Dicas para manter a saúde financeira do seu negócio.

Obrigada pelo papo e conte com a gente!

Veja também

32 Comentários

  • Top de mas ,gostei e tenho interesse no produto.

    • Oi, Genilson. Ficamos felizes que você tenha gostado! Temos um vídeo lá no canal Papo de Balcão sobre Registradora que pode te interessar, vai lá assistir. 🙂
      http://sou.stone.com.br/Registradora

  • como faço o cadastro

    • Oi, Nildo. Não é necessário fazer um cadastro. O registro dos recebíveis é feito pela credenciadora ou subcredenciadora.

  • Ola bom dia ,muito bom o conteúdo.mas eu gostaria de tomar um cafezinho com o CEO. E saber se com o faturamento que tive ano passado com a Stone possa me ajudar .eu só.trabalho com a Stone até tenho outras máquinas mas não as uso só tenho por motivos de contrato a qual não posso cancelar no momento. preciso fazer um investimento na minha empresa preciso ampliar e quitar algumas dívidas ,e realmente estamos passando por um momento difícil estamos vendo nosso faturamento cair nossa margem diminuir, então agora e hora de agir tenho ideias pra mudar esse cenário e sei se botar em prática concerteza muda, pois tenha muita experiência no ramo .mas preciso de capital o qual não tenho no momento então mais uma vez venho umildemente pedir ajuda da nossa grande amiga Stone .sabe já tentei passar essa mensagem por outros canais mas não tem como pois hoje em dia e tudo sistema .bom preciso de vocês como já precisei outras vezes na maioria das vezes fui atendido sou muito grato a Stone .mas como disse preciso mudar o cenário da minha empresa investir aumentar inovar assim consequentemente aumentar o meu faturamento aumentando meus ganhos e da Stone também .preciso de da ajuda de voces são muitas coisas a fazer equipamentos novos mais modernos reformas etc. tenho certeza que posso contar com a stone.peço umildemente que esse email seja enviado para o responsável.grato

    • Oi, Fabiano! Primeiramente, queremos esclarecer como funciona a concessão de empréstimo na Stone. Os clientes são avaliados todos os dias para oferecer novas propostas de crédito e a liberação acontece levando em consideração diversos critérios criados para garantir a sua segurança financeira e da Stone. Você sempre será avisado, por e-mail e pelo portal, quando houver proposta disponível e quanto mais vender na Stone, maior a chance de ficar elegível à oferta!
      A Stone intensificou o trabalho durante a pandemia para conseguir atender um número ainda maior de empreendedores, considerando que é um momento delicado. Todos os dias a empresa cresce um pouquinho mais a operação para apoiar mais empreendedores como você.
      Obrigado pelo seu feedback. Acreditamos que ele é uma oportunidade da Stone crescer e melhorar cada vez mais os produtos.

  • Muito bom

    • Oi, Dayana. Ficamos felizes que você tenha gostado desse artigo! Temos um vídeo lá no canal também, que está bastante esclarecedor. 🙂
      http://sou.stone.com.br/Registradora

  • Ótimo

    • Oi, Ruzivaldo. Que bom que gostou desse artigo. Continua nos acompanhando por aqui, porque estamos preparando muito conteúdo bacana pra você!

  • Quero mais informações desse novo modelo
    Por favor.

    • Oi, Fabiola. Por meio de uma resolução do Banco Central, a partir de 17 de fevereiro deste ano, os recebíveis de cartões serão registrados em uma entidade registradora autorizada pelo Banco Central. Similar a um cartório, a registradora funciona como um “livro aberto” de registros de recebíveis de cartão. Essa nova modalidade irá empoderar o lojista do controle e gestão dos próprios recebíveis de cartão. De forma prática, uma vez registrados, os recebíveis do lojista podem ser negociados sem ficarem “presos” à credenciadora (adquirente) que os processou.

  • Preciso de um empréstimo para minha empresa

    • Oi, Adão! Vamos explicar melhor como funciona o crédito Stone, está bem? O empréstimo é disponibilizado para os clientes que passam por uma análise prévia. Essa análise é feita automaticamente, sem que você precise indicar interesse no produto. Dessa forma, assim que tiver uma proposta pronta para o seu negócio, a Stone avisará por e-mail ou pelo portal. Obrigado! 🙂

  • Quero ver como funciona este aplicativo!

    • Oi, Ângelo. Não funcionará por meio de um aplicativo. 🙂
      As registadoras de recebíveis são entidades autorizadas a operar pelo Banco Central e poderão ter acesso aos seus recebíveis através de uma permissão. A regra começará a valer a partir de 17 de fevereiro deste ano.

  • Gostaria de participar dessa nova ideia para investir mais na minha empresa.

    • Oi, Emanuel. Pelas novas regras do Banco Central, todo o fluxo de pagamentos realizado por cartões precisará passar pelo registro de uma registradora. Portanto, quando você realizar o credenciamento com uma adquirente, no contrato deverá constar uma cláusula permitindo o tal registro. A regra começará a valer a partir de 17 de fevereiro deste ano. 🙂

  • Ótimo

  • Quero saber mais estou com dúvidas?

  • Tudo bem. Não entendi muito bem 😕 pois gostaria de saber se meu dinheiro que passa na máquina vai continuar indo pra minha conta do Santander. Pois não tenho conta na estone e nunca consegui assessar poriso estou com essa preocupação. Pode me tirar essa dúvida? E teria

    • Oi, Fabiane. As vendas vão continuar sendo pagas no domicílio bancário escolhido por você. Isso não sofrerá alteração. 🙂

  • Gostaria de uma pessoa me explicando pessoalmente. Meu estabelecimento fica dentro de um espaço cultural, ficamos 220 dias de 2020 totalmente fechados. Das 12h diárias de trabalho, sendo 68h semanais, estamos trabalhando apenas 20 semanais, isto por conta das restrições do Estado. Dos valores que recebemos 50% são capturados para pagamento do empréstimo feito antes da pandemia e os 50% destinados à nossa subsistência, ainda sofre o desconto das taxas. Nosso estabelecimento está sendo levado à falência com esta política. Não temos como honrar a folha. Este acerto não dá para a gente.
    Agradeço a atenção.

    • Oi, Patricia. Sabemos que este é um período delicado para o empreendedor e a Stone está trabalhando com ações diretas para apoiar ainda mais os donos e donas de negócios. Eles continuam estudando os cenários diariamente e estão desenvolvendo ações que ajudem a diminuir o impacto causado pela crise. A Stone tem um time especializado no Crédito Stone que pode te ajudar com alternativas para quitar seu empréstimo de maneira mais rápida! Basta ligar no 3004 9683 (regiões metropolitanas) ou 0800 9403 877 (demais regiões), de segunda à sexta, das 8h às 18h! 💚

  • Boa tarde ! Já tenho um empréstimo c trava , ainda estou pagando , ele muda tbm ?

    • Oi, Nixon. Sim, a Stone precisará fazer fazer alguns ajustes na forma de quitação do empréstimo para se adequar à nova norma de registro de recebíveis. Eles tem um artigo na Central de Ajuda que dá mais detalhes sobre a registradora e o que muda para clientes que antecipam e tem empréstimo com eles. Você pode conferir por aqui: https://ajuda.stone.com.br/registradora

  • Preciso de um empréstimo

    • Oi, Altieri. A Stone possui um time especializado em Crédito e pode te ajudar com algumas alternativas. Basta ligar no 3004 9683 (regiões metropolitanas) ou 0800 9403 877 (demais regiões), de segunda à sexta, das 8h às 18h! 🙂

  • Não entendi uma coisa. Vou exemplificar.:
    Se uma determinada loja passa uma venda de 1.000 reais em 10X no cartão pela maquineta Cielo sob taxa de 2.5%. Se ele desejar mudar o recebimento para outra maquineta, será cobrado os 2.5% da Cielo mais a porcentagem da outra empresa/maquineta. Ou você vai transferir os recebíveis no valor de 1.000 reais para uma empresa que te oferecer uma taxa de 1.5%, sem sofrer com a taxa da Cielo que seria cobrada.

    • Oi, Erick. Vamos lá. 🙂
      Caso você faça a venda em uma adquirente e antecipe os valores em outra instituição, temos 2 situações:
      – Taxa de processamento da venda: é acordada com a adquirente da maquininha em que você fez a venda, que receberá este valor por ter processado a venda. Esta taxa costuma variar por bandeira, por ter um custo diferente.
      – Taxa de antecipação dos valores: é acordada com a instituição que antecipará o valor para você, liquidando em sua conta bancária, a instituição receberá esse valor por ter pago antecipadamente (por exemplo: pagando uma venda de crédito à vista no dia seguinte, ao invés de 30 dias após a venda).

      Esperamos ter ajudado! 💚

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer receber conteúdo de empreendedorismo sem conversa fiada no seu e-mail?

Inscrevendo-se em nossa newsletter você autoriza que o Papo de Balcão utilize os Dados Pessoais fornecidos acima para envio de conteúdo informativo e publicitário relacionado à educação financeira e negócios, nos termos de nosso Aviso de Privacidade.