Instituições financeiras: entenda onde você coloca o seu dinheiro

 Instituições financeiras: entenda onde você coloca o seu dinheiro

Ser empreendedor é uma construção de todo dia. Constantemente é preciso tirar dúvidas e procurar entender um pouco mais as coisas que rodeiam o seu negócio. As Instituições Financeiras (IF) podem ser exemplo disso.

Para administrar o negócio e tomar decisões que realmente sejam corretas, o primeiro passo é compreender o que é confiável e o que se aplica na sua realidade. Já parou para pensar o que é uma Instituição Financeira e qual é a diferença entre ela e um banco? Aliás, você sabe realmente o que o banco faz pelo seu negócio?

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Instituições Financeiras não são só bancos.  A principal diferença mesmo entre Instituições Financeiras e bancos, é que os bancos têm uma rede de agências, espaço físico.

2.

Assim como o banco, a IF também oferece opções de investimentos e normalmente com rentabilidade maior. Porém, ela é focada em fornecimento de crédito e bancos podem oferecer serviços múltiplos.

3.

Antes de investir o dinheiro do seu negócio, consulte o Índice de Basileia. Ele é um bom modo para saber o risco que você está correndo ao investir em um banco ou IF.

Nessas próximas linhas, vamos esclarecer pontos importantes: o que é uma Instituição Financeira, exemplos,  tirar dúvidas sobre as diferenças entre IF e banco. Vamos?

O que são as Instituições Financeiras?

 Instituições Financeiras (IF) são responsáveis pela captação de recursos e concessão de crédito na sociedade. Na prática, é quem realmente empresta dinheiro e oferece serviços focados em empréstimos e financiamentos. 

Então Instituições Financeiras não são só os bancos?

 Se pensou em banco, tem um muito importante que você deve lembrar: Banco Central.

 Papel do Banco Central: O Banco Central do Brasil (BC) é o responsável pelo controle da inflação no país. Ele se preocupa com as atividades financeiras e, para isso, regula e supervisiona as Instituições Financeiras.

 Mas, respondendo à pergunta: não, Instituições Financeiras não são só bancos. Muitas pessoas ao imaginarem Instituição Financeira, associam a banco. Mas tem várias outras formas de investir o seu dinheiro. 

Segundo o Banco Central, existem vários tipos de Instituições Financeiras: Bancos Comerciais, Bancos de Investimento, Corretora de Valores, Distribuidoras de Valores Mobiliários…

Podemos contar melhor sobre cada tópico em outra conversa, mas hoje vamos focar no mais prático para você, ok? E claro, no que faz parte ativamente do seu dia a dia.

Qual a diferença entre Instituições Financeiras e Bancos?

Apesar de algumas semelhanças, há diferenças entre os dois. 

Bancos e Instituições Financeiras concedem empréstimos e ambos são regulados pelo Banco Central. 

As financeiras, por exemplo, podem emitir LCs (Letras de Câmbio), já os bancos oferecem outras opções, como CDBs (Certificado de Depósito Bancário). Porém, a principal diferença mesmo entre Instituições Financeiras e Bancos, é que os bancos têm uma rede de agências, espaço físico.

Não existe pior ou melhor. O que existe é aquilo que se adequa às suas preferências e necessidades do seu negócio em determinado momento. 

Só pra ficar claro antes da gente continuar:

LCS  São letras de câmbio. Ao invés de o investidor emprestar dinheiro para um Banco, ele repassa para as IF, que emprestam esses recursos para outras pessoas com juros maiores e retornam aos donos das LCS o valor do empréstimo mais a rentabilidade.

CDBs Certificado de Depósito Bancário, que é um título de renda fixa do tipo crédito privado, oferecido por bancos. Na prática, você empresta dinheiro ao banco, que te remunera com juros.

De modo geral, os bancos realizam possibilidades de empréstimos, como cheque especial, e financiamento, por exemplo. Para que essas operações ocorram e ele consiga atender aos clientes que precisam de crédito, os bancos tomam dinheiro emprestado pagando juros.

Quando você coloca dinheiro em uma conta, o que acontece com ele?

O banco é uma instituição que pega dinheiro emprestado e depois empresta esse dinheiro para outras pessoas, normalmente clientes devedores. Para conceder empréstimo a essas pessoas, ele cobra juros. 

Pensando no seu investimento, você empresta o dinheiro para o banco usar esses recursos e após um tempo, o dinheiro é devolvido com os rendimentos (são os juros dessa aplicação).

Assim como o banco, a IF também oferece opções de investimentos e normalmente com rentabilidade maior. Porém, ela é focada em fornecimento de crédito e bancos podem oferecer serviços múltiplos.

E se as Instituições Financeiras ou os Bancos “quebrarem”?

Um dos maiores medos da população brasileira é investir o dinheiro e depois a Instituição ou banco “quebrar”. 

Por exemplo, pode acontecer uma situação em que várias pessoas queiram tirar o seu dinheiro dos bancos, fazer saques diversos de altos valores no mesmo dia. Caso o banco não tenha esse valor em caixa, pode sofrer uma instabilidade e ficar à beira da falência.

É o que conhecemos como Corrida Bancária. Isso pode fazer o banco quebrar de um dia para o outro.  Mas se um banco grande quebra, a economia é altamente prejudicada e a inflação pode subir em um nível alto e nada saudável para o país. Logo, o Banco Central ajuda os bancos em várias situações. 

Para as Financeiras, existe o Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Ele administra uma proteção aos investidores, permitindo recuperar até R$ 250 mil em depósitos ou créditos em caso de falência.

Na Instituição Financeira, portanto, o dinheiro do cliente é simplesmente o dinheiro do cliente. Isso porque os serviços de uma Financeira são baseados em fornecimento de crédito, e o serviço dos bancos são mais variados. Nestes, o controle do dinheiro é mais complexo, uma vez que ocorre uma mistura de investimentos em vários serviços.

 A IF presta conta para o Banco Central sobre o número de clientes e valores em caixa e o Banco Central confere o extrato para ver se tudo está declarado. Se uma IF quebrar, o dinheiro depositado em nome de cliente será também devolvido pelo Banco Central.

Pra não esquecer

Dica: Dê uma olhada em alguns números significativos antes de investir o dinheiro do seu negócio, por exemplo, o Índice de Basileia. Ele é um bom modo para saber o risco que você está correndo ao investir em um banco ou IF. É um índice que mostra o quanto a Instituição possui de dinheiro e o quanto ela está devendo. Dentro do índice de Basileia, o Banco Central exige um número superior a 11%.

Então fique atento nas diferenças entre Instituições Financeiras e Bancos, depois nos conte o que achou, viu?! Clicando aqui, você consegue conferir a evolução do índice de Basiléia dos bancos brasileiros, assim como outras informações.

Obrigada pelo papo e boas vendas!

Veja também

4 Comentários

  • Quero solicitar um empréstimo para minha empresa.

    • Oi, Juliana. Tudo bem?
      Por meio do número 3004-9680 conseguimos te ajudar 🙂

  • Gostaria de solicitar um empréstimo para minha empresa…

    • Olá, Edileusa. Tudo bem?
      Ficamos muito felizes em poder te ajudar pelo nosso telefone 3004-9680 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *