Como usar um marketplace para aumentar suas vendas?

 Como usar um marketplace para aumentar suas vendas?

Você já vende em algum marketplace? Essa pode ser uma ótima estratégia para melhorar o seu alcance, com um baixo investimento. Para aprofundar esse assunto e saber como você pode aumentar suas vendas usando esse canal, conversamos com o Luis Mandarino, gerente de marketplace da Amazon Brasil.

Com a missão de oferecer a melhor experiência possível para o consumidor, o Marketplace foi lançada em 2017 aqui no país. Hoje, já tem mais de 300 milhões de contas de clientes ativas em todo o mundo. Vem conferir as dicas do especialista!

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Um marketplace agrega diversas lojas online em um só lugar, oferecendo facilidade para os clientes encontrarem o que precisam e dando visibilidade para os negócios, que têm acesso a um fluxo maior de pessoas. Você pode vender qualquer categoria de produto em um marketplace, desde eletrônicos até itens de higiene pessoal. Para começar a vender em uma plataforma como a Amazon, é necessário cadastrar um CPF ou CNPJ, a conta bancária correspondente e um cartão de crédito. Os custos para estar em um marketplace podem variar. Na Amazon, o lojista paga uma comissão por cada venda realizada e uma taxa fixa. Uma das vantagens desse modelo é a segurança que ele dá, uma vez que todos os pedidos recebidos ficam sob a responsabilidade do marketplace, que arca com os custos necessários em caso de fraudes.

2.

Durante a conversa, o Luis deu algumas dicas para quem quer vender mais no marketplace. A primeira delas é apostar na qualidade do catálogo. Inclua até 9 fotos por produto, um título relevante e as principais características dele. Cada um desse itens impacta na conversão de vendas. No caso da Amazon, você pode cadastrar cada produto por vez, subir uma planilha com todos os dados ou contar com um integrador. Outro ponto importante é o frete. Na plataforma, é você que determina o prazo de entrega e o valor cobrado por isso. De qualquer forma, é importante dizer que, quanto menor eles forem, maior é a chance de vender.

3.

Luis também destacou o papel que o atendimento ao cliente tem para uma boa performance dentro de uma marketplace. Os consumidores podem fazer avaliações que ficam disponíveis para todos e, quanto melhor ela for, mais chances de ganhar relevância dentro da plataforma. Uma última dica é garantir a disponibilidade do estoque. Afinal, os clientes podem entrar na sua página interessados em um produto e acabar levando algum outro relacionado. Da mesma forma, se algum item está faltando na sua loja online, o consumidor pode buscar na concorrência. Por fim, aproveite as ferramentas de análise que um marketplace oferece, como visualizações por produto e taxa de conversão. Assim, você consegue tomar decisões mais assertivas e ter uma boa performance na plataforma.

O que é um marketplace? 

Luis explicou que o marketplace é um agrupamento de diversas lojas online em um mesmo site. Ele funciona como um shopping virtual, com todas as marcas e itens concentrados em um só lugar.

Assim, o lojista não conta apenas com o fluxo da sua loja, mas tem acesso a todo o fluxo desse marketplace. Do ponto de vista do cliente, esse canal traz facilidade, porque oferece uma grande variedade de produtos.

Então, o marketplace é um site adequado para quem quer vender online. Para o dono do negócio, ele traz rapidez e você pode começar suas vendas em poucos dias ou até horas depois do cadastro.

Outra vantagem desse modelo é não ter que gastar tempo criando seu próprio site, se preocupando com o tráfego e outros detalhes de uma loja online própria. Um bom marketplace já oferece as ferramentas necessárias para a gestão do seu ecommerce.

Por fim, um dos grandes benefícios que ele tem é o baixo investimento. Luis explica que, no caso da Amazon, o lojista apenas paga uma comissão por venda realizada e uma taxa fixa. Afinal, o marketplace fica responsável por toda a forma de pagamento e o tráfego do site.

O que você pode vender em um marketplace? 

O marketplace dá a possibilidade de promocionar seus produtos, pelo grande fluxo grande de pessoas e a variedade de itens que podem ser cadastrados. Mas quais itens você pode vender?

De acordo com Luis, há alguns diversos tipos de marketplace: só de moda ou de alguma categoria específica, por exemplo, até aqueles mais abrangentes, que aceitam todo tipo de mercadoria.

A Amazon atende ao segundo modelo. Assim, você pode vender desde eletrônicos até livros, calçados, jóias, produtos de higiene pessoal, entre outras tantas categorias de produto.

A dica do Luis para você escolher a melhor opção de marketplace para o seu negócio é avaliar as alternativas disponíveis e testar para ver onde vende mais.

Como começar a vender em um marketplace? 

No caso do marketplace da Amazon, para o lojista se cadastrar, é necessário:

  • CPF ou CNPJ
  • Conta bancária (para o marketplace fazer o depósito referente às vendas)
  • Cartão de crédito

Luis recomenda que você faça esse processo da forma mais linear possível, usando a conta bancária no mesmo CPF ou CNPJ fornecido.

Quanto custa vender em um marketplace? 

De maneira geral, os marketplaces funcionam com o pagamento de uma comissão que é automaticamente deduzida das suas vendas.

O exemplo usado pelo Luis durante a apresentação foi o seguinte:

Se o seu produto custa 80 reais, o frete é de 20 reais e a comissão do marketplace é de 10%, no final, você recebe 90 reais pela venda.

Lembrando que a comissão será cobrada em cima do preço final ao consumidor e ela varia de acordo com a categoria do produto vendido.

Segurança no marketplace 

Uma das vantagens de estar em um marketplace é a segurança que ele oferece para o dono de negócio. Isso porque todos os pedidos que chegam ao vendedor são de responsabilidade da plataforma, para evitar fraudes.

Então, caso haja algum problema nesse sentido, é o marketplace que arca com os custos para o lojista não ter que se preocupar com isso.

Boas práticas no marketplace

Para ajudar você a montar sua loja virtual dentro de um marketplace, Luis trouxe algumas dicas para ter sucesso nesse modelo. Confira agora!

Qualidade de catálogo

No online, não há um vendedor explicando mais informações sobre o produto ou fazendo a venda dele. Existe apenas o consumidor e a sua página. Então, quanto mais dados do item vendido estiverem disponíveis, maior as suas chances de vendas.

A dica do Luis é que você tire fotos dos seus produtos em vários ângulos diferentes e em um fundo branco. Quanto mais imagens (o limite é de 9), maior costuma ser a conversão. Elas devem ter boa qualidade para que o cliente consiga dar zoom e realmente ver cada detalhe.

Da mesma forma, é preciso caprichar nos outros itens do catálogo, como o título, que precisa ser muito claro e trazer algumas informações principais do produto cadastrado. Outro campo que merece atenção é o das características. Aqui, ofereça todas os dados necessários sobre a mercadoria, como cores e modelo.

As palavras de busca também precisam ser pensadas, porque ajudam o seu produto a ser encontrado quando o cliente procura por determinado item.

Cada ponto do catálogo pode fazer a diferença na conversão. Então, Luis reforça a importância de separar um tempo para conhecer os seus produtos e cadastrá-los no marketplace.

Formas de adicionar o seu produto

A Amazon não tem limitação para a quantidade de itens do catálogo e há algumas formas de adicionar os seus produtos ao marketplace da marca.

Uma dessas alternativas é subir cada item por vez. A vantagem, aqui, é ter mais atenção ao título, às fotos e aos dados inseridos no catálogo, com uma visão mais aprofundada. Por outro lado, essa estratégia pode ser demorada, dependendo do tamanho do seu catálogo.

Nesse caso, uma alternativa é subir uma planilha com as informações sobre os seus produtos de uma vez só. Para isso, você precisa ter esses dados planilhados ou montar um arquivo.

Criar do zero pode levar tempo, mas caso você já tenha isso pronto, montar seu catálogo fica bem mais rápido e é possível subir mais de mil itens de uma vez. A desvantagem aqui é que, caso tenha alguma informação não preenchida na planilha, dá erro na hora de subir para o marketplace e você precisa fazer as correções.

Uma terceira opção é usar um integrador. Essa é uma alternativa para os lojistas que já tem uma estrutura e contam com um sistema para gerenciar o estoque. Aqui, esse integrador pega os itens do sistema e sobe diretamente para o marketplace.

A vantagem é que o processo é massivo e pode ser feito rapidamente, com poucos cliques. Uma possível desvantagem é ter mais um intermediador e um ponto de atrito, caso haja alguma incidente na hora de fazer a integração.

Frete

Luis aponta que a cobrança do frete varia entre os marketplaces, alguns têm uma logística própria e, em outros, ele fica por conta do vendedor, que opta pelos correios ou por alguma transportadora.

Na Amazon, você tem liberdade de escolher a forma de envio mais adequada para o seu negócio. Então, é você quem define o tempo estimado para entrega e o preço que vai ser cobrado por isso. A dica aqui é analisar qual forma faz mais sentido para o seu negócio. Se ele vende apenas um tipo de produto, por exemplo, é possível anunciar em diferentes marketplaces e ver qual tem o melhor retorno.

Vale lembrar que o consumidor sempre vai querer receber o produto o quanto antes. Então, quanto menor o tempo e o frete, maior a conversão das vendas.

O conselho do Luis para quem não tem um frete competitivo é montar um kit, porque, nesse caso, o valor por cada unidade é menor. Então, se você vende camisetas, o frete de uma pode custar 10 reais, mas em um kit com 4, ele ser de 14 reais, por exemplo. O importante é criar estratégias de frete conectadas ao produto.

Aliás, as promoções são uma ótima forma de garantir destaque para as suas ofertas. Se o marketplace identifica que o seu produto está vendendo mais, ele ganha relevância e pode aparecer na primeira ou segunda página de busca. Essas são localizações privilegiadas dentro desse modelo e chamam atenção para a sua marca, aumentando suas vendas.

Prazo e precificação competitiva

Ainda pensando no frete e no valor dos seus produtos, duas boas práticas para adotar em um marketplace são a precificação competitiva e o prazo curto. Principalmente quando a sua loja vende um item padrão, que pode ser encontrado em outros lugares, uma das formas de se diferenciar é por meio dessa precificação.

Os lojistas que oferecem o menor preço e o menor prazo de entrega costumam sair na frente. É claro que o tempo de entrega vai variar de acordo com a região do fornecedor e do cliente. Por isso, o marketplace mostra a melhor oferta para o consumidor, com base na sua localização.

Atendimento ao cliente

O atendimento ao cliente é outro ponto que merece muita atenção dos lojistas que querem vender mais em um marketplace. Quando o consumidor tem uma boa experiência com uma marca, a tendência é que volte a comprar dela. Da mesma maneira, se ele se sente mal atendido, pode procurar um concorrente.

Em um marketplace, a qualidade do atendimento é analisada por meio das avaliações que os consumidores fazem daquela loja. Assim, os negócios com notas mais altas têm mais relevância dentro do site.

Se o cliente vê um produto muito barato com uma avaliação muito boa, a conversão tende a ser maior. Já aqueles com muitos comentários negativos e uma avaliação ruim despertam desconfiança. O próprio marketplace pode bloquear vendedores com taxas muito baixas de atendimento, porque entende que eles não são relevantes para os consumidores.

Por isso é tão importante oferecer um excelente atendimento aos seus clientes, assim como montar um catálogo que esclareça as dúvidas que eles têm em relação aos produtos vendidos.

Estoque disponível

O planejamento de estoque é fundamental para performar bem dentro de um marketplace. Isso porque, se um dos itens que você vende está indisponível, os clientes podem buscá-lo em outro lojista dentro da própria plataforma e, com isso, o seu negócio perde aquela venda.

Da mesma forma, um consumidor pode chegar até a sua loja por causa de um item específico, mas se interessar pelos produtos relacionados e comprar mais, inclusive aqueles que, na sua loja física, não costumam sair muito.

Por isso, garanta a disponibilidade dos itens. Quanto mais produtos você coloca no catálogo, mais oportunidades de venda você tem, afinal, o comportamento do cliente na sua loja virtual não vai ser necessariamente o mesmo da física.

Estoque disponível

De acordo com o Luis, os dois principais erros que os lojistas cometem no marketplace e que você deve evitar são:

  1. Cadastrar seus produtos sem focar na palavra-chave de busca, sem deixar as características dos itens muito claras e usando fotos de baixa qualidade que não mostram os detalhes da mercadoria.
  2. Não aproveitar as ferramentas que o marketplace oferece.

As plataformas disponibilizam muitas informações relevantes para o negócio e os lojistas devem aproveitar. Busque pelos mais vendidos naquele marketplace para ver como os seus itens podem se adequar. Além disso, gaste um tempo entendendo os seus produtos. Afinal, não adianta ter muitos itens cadastrados se o seu catálogo está ruim.

A Amazon oferece uma aba de relatórios comerciais para os lojistas analisarem a performance da sua loja online. Ali, é possível saber quantas visualizações os seus produtos receberam e a taxa de conversão de cada um. A partir disso, você consegue identificar o que está funcionando e o que precisa ser revisto, como preço, frete ou até mesmo o catálogo.

Como um marketplace pode aumentar suas vendas?

Luis reforça que, em um marketplace, você vai ter acesso a uma base de clientes muito grande e usufruir dessa quantidade de consumidores para efetuar suas vendas. Então, não se esqueça de caprichar no catálogo, aproveitar as ferramentas disponíveis e analisar seus preços, buscando ofertas competitivas e oferecendo excelentes prazos de entrega.

Se você quer começar a vender pela Amazon e aproveitar um canal de vendas com baixo custo, é só clicar neste link e se cadastrar.

Esperamos que este post tenha esclarecido as suas dúvidas sobre vender em um marketplace. Afinal, quanto mais você entende sobre essa plataforma, mais pode desfrutar das ferramentas oferecidas e, então, ver um retorno maior para os eu negócio.

Se você gostou deste conteúdo, talvez se interesse por este também: 4 motivos para você estar em vários canais de contato com o seu cliente

Obrigada pelo papo e conte com a gente!

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *