Utilizamos cookies para possibilitar e aprimorar sua experiência em nosso site, de acordo com nossas políticas de privacidade e cookies.

Entendendo capital de giro: você no controle do seu negócio

 Entendendo capital de giro: você no controle do seu negócio

Você já deve ter ouvido falar em capital de giro, certo? Mas você sabe o que esse conceito significa ou qual a sua importância para os pequenos negócios?

De acordo com uma pesquisa realizada pelo SEBRAE RS, o capital de giro é a maior necessidade das pequenas e médias empresas no Brasil. O levantamento mostrou que 64% dos negócios entrevistados consideram esse item o mais importante para as suas operações. E então, você quer entender de vez esse conceito?

No post de hoje, vamos explicar o que é capital de giro, por que ele é importante para a sua empresa e como é possível calculá-lo. Além disso, vamos falar de outros conceitos que se ligam ao capital de giro, como financiamento e fluxo de caixa. 

Assim, ao final deste artigo, você vai ter um guia completo sobre capital de giro para garantir o bom funcionamento do seu negócio, sem dívidas e com uma excelente gestão financeira. Quer saber mais? Então, vem ler! 

O que é capital de giro?

O capital de giro funciona como uma reserva financeira do seu negócio para arcar com os custos da sua empresa, como contas de luz, aluguel, água e todos os serviços essenciais para as suas operações diárias.

O capital de giro é um ativo com alta rotatividade no seu negócio, diferentemente de uma reserva de emergência, que você guarda para situações excepcionais. Por isso, é importante garantir uma reposição constante do valor gasto do capital de giro. 

Assim, você evita que o dinheiro acabe. Afinal, não ter recursos suficientes em caixa para manter o funcionamento da empresa pode gerar imensos prejuízos para o seu negócio, como o acúmulo de dívidas.

Além disso, o capital de giro é diferente do capital fixo. Neste último caso, o dinheiro reservado deve ser usado na compra de móveis, bens ou outras instalações necessárias. O capital de giro não, ele deve ser destinado às contas mais frequentes do negócio, enquanto o dinheiro das vendas não vem para o seu caixa.

Mas qual a real importância do capital de giro para os pequenos negócios? É o que vamos ver agora. Confira!

Qual a importância do capital de giro para os pequenos negócios?

O capital de giro evita que o seu negócio fique no vermelho. Ele é um conceito fundamental para garantir a boa gestão financeira da sua empresa. Para os pequenos negócios, que normalmente trabalham com orçamentos reduzidos, é ainda mais importante contar com o capital de giro suficiente para manter suas operações. 

Se você ainda está começando a empreender, pode precisar do capital de giro para garantir o estoque suficiente para iniciar suas vendas, por exemplo. Nesse caso, você ainda não conta com o dinheiro dos clientes e precisa ter uma reserva própria para fazer o negócio girar. Viu como o nome do conceito faz sentido?

Assim, na medida em que suas vendas forem crescendo, você consegue construir uma nova reserva e acumular mais capital de giro para quando precisar.

Agora, se as suas operações já estão em funcionamento, o capital de giro é utilizado para pagar suas contas enquanto você não recebe o dinheiro das vendas. Quando os seus clientes compram a prazo, por exemplo, você fica um tempo sem receber por essas compras, mas o seu negócio continua funcionando. 

E como pagar as contas enquanto você não tem acesso ao dinheiro das vendas? Com o capital de giro! Por isso, dizemos que ele oferece os recursos necessários para manter a sua empresa.

Com isso, você mantém um fluxo contínuo de gastos do capital de giro e de reposição desse dinheiro com a entrada das vendas. 

Nesse sentido, você deve saber calcular o capital de giro, para não ficar no vermelho. Mas como fazer esse cálculo? É o que vamos ver no próximo tópico. 

Como calcular o capital de giro?

O cálculo do capital de giro é importante para definir quanto dinheiro a sua empresa precisa ter para arcar com as despesas do negócio, sem acumular dívidas.

Confira, a seguir, um passo a passo para saber esse valor!

1. Calcular o caixa mínimo

O caixa mínimo do negócio corresponde ao seguinte cálculo:

Custo diário X Necessidade líquida de capital de giro em dias

O custo diário é o resultado da soma dos seus custos fixos com os seus custos variáveis, divididos por 30 (os dias considerados):

Custo diário = (Custos fixos + custos variáveis)/30

Já para encontrar a necessidade líquida de capital de giro, você precisa somar o prazo médio de contas a receber e a necessidade média de estoque. Depois é necessário subtrair esse valor do prazo médio de compras:

Necessidade líquida de capital de giro = (Prazo médio de contas a receber + necessidade média de estoque) – prazo médio de compras

2. Verificar o estoque inicial

O estoque inicial corresponde ao valor dos insumos e produtos que o seu negócio mantém em estoque no início do período considerado. 

 

Saber essa quantia em dinheiro vai ser importante para descobrir o capital de giro necessário para a sua empresa, como vamos ver a seguir. 

3. Calcular o capital de giro

Agora que você já sabe o seu caixa mínimo e o seu estoque inicial, para calcular o capital de giro, é necessário somar um ao outro, desta forma:

Capital de giro = Caixa mínimo + Estoque inicial

Pronto! Viu como é fácil? Aproveite para calcular o capital de giro do seu negócio e saber quanto você precisa ter de reserva para manter as suas operações sempre funcionando!

Esse elemento é parte fundamental do controle das suas finanças e merece a devida atenção. Por isso, mão na massa! Calcule o seu capital de giro com o nosso passo a passo. 

Outro conceito importante para a gestão financeira da empresa é o fluxo de caixa. Você já deve ter ouvido falar nele, mas sabe qual a sua importância?

O fluxo de caixa está muito ligado ao capital de giro, por isso, vamos falar sobre o assunto a seguir. Vem conferir!

Qual a relação entre capital de giro e fluxo de caixa?

Ao lado do capital de giro, o fluxo de caixa é um dos elementos mais importantes para a boa gestão financeira da sua empresa. Ele controla todas as entradas e saídas do seu negócio e revela o comportamento do seu caixa. 

Já capital de giro, como você sabe, corresponde ao valor em dinheiro necessário para o negócio manter suas operações funcionando. Ele é formado pelo valor em caixa, estoque e contas a receber.

Isso quer dizer que a necessidade de investimentos no seu capital de giro tem a ver com os prazos que os seus consumidores têm para pagar e com os prazos que a sua empresa tem para realizar o pagamento junto aos seus fornecedores. 

Com isso, a necessidade de capital de giro vai impactar diretamente no planejamento do fluxo de caixa. Se não houver recursos suficientes para realizar determinado pagamento, por exemplo, é preciso fazer um investimento adicional no seu capital de giro.

A dica nesse caso, para não comprometer o seu fluxo de caixa, é conversar com seus fornecedores e negociar prazos maiores de pagamento. 

Da mesma forma, você pode trabalhar com prazos um pouco menores de recebimento. Com isso, você diminui as chances de um desequilíbrio negativo no seu fluxo de caixa, além de reduzir a necessidade de investimento no seu capital de giro.

Mas e se as contas apertarem e você precisar de uma injeção extra de recursos na sua empresa, o que fazer? Veja no próximo tópico!

Capital de giro e financiamento

Para garantir que você tenha capital de giro suficiente para lidar com os desafios do negócio, uma possibilidade é contar com um financiamento. 

Lembra que falamos sobre o levantamento do SEBRAE na introdução do post? Então, a pesquisa mostrou também que, com a pandemia, 34% dos entrevistados pediram um empréstimo para o seu negócio. 

Algumas condições precisam ser avaliadas antes de pedir um empréstimo no seu banco. Afinal, essa é uma decisão importante e que precisa ser bem pensada para não comprometer o seu caixa e a saúde financeira do seu negócio futuramente.

E quem vende com a maquininha da Stone pode pedir um empréstimo com flexibilidade e ir pagando com uma parte do recebimento das vendas diárias.

Veja a lista a seguir sobre o que considerar antes de pedir um financiamento!

1. Objetivo

Antes de pedir um empréstimo, você precisa definir de forma muito concreta qual o seu objetivo com esse dinheiro. 

Além disso, você deve calcular o valor do empréstimo, para não se comprometer com uma quantia superior à necessária e nem pedir um valor inferior ao que você precisa.

Essa avaliação envolve toda a sua gestão financeira, para entender como alocar os recursos recebidos. Faça o cálculo de capital de giro com o objetivo identificar o valor necessário para cobrir as despesas.

2. Orçamento

A análise do seu orçamento é importante para verificar a real necessidade do empréstimo. Antes de solicitar um financiamento, veja se você consegue reduzir alguns custos do seu negócio ou se está havendo desperdícios de recursos. 

A partir desse olhar para a sua empresa, você consegue identificar gargalos e oportunidades de melhoria, guiando melhor as suas decisões. Essa análise, portanto, vai contribuir não apenas para o capital de giro, como também para o bom funcionamento de todas as operações.

Agora, há ainda outra alternativa antes de pedir um financiamento no seu banco ou instituição financeira: a negociação.

3. Negociação

Se o seu capital de giro está comprometido por conta de dívidas com os fornecedores, por exemplo, antes de pedir um empréstimo, tente negociar com eles.

Explique a situação para os fornecedores e tente chegar em um meio termo que seja bom para ambas as partes. Assim, talvez você conquiste melhores condições de prazos, juros ou valores.

Se, depois dessas avaliações, você ainda achar o empréstimo necessário, considere o tópico a seguir.

4. Instituições financeiras

Diferentes instituições financeiras oferecem condições de crédito distintas. Por isso, antes de solicitar um financiamento, faça uma pesquisa em vários bancos para avaliar qual a melhor opção para o seu negócio, como juros mais baixos ou parcelamentos maiores.

Nesse caso, você também deve utilizar estratégias de negociação para encontrar uma boa solução para a sua empresa. Para isso, é importante que você entenda o seu negócio em profundidade. Assim, consegue ter argumentos suficientes para colocar na mesa com o gerente do banco e discutir as possibilidades.

Mesmo que você opte por um financiamento, o ideal é que o seu negócio não precise de empréstimos com muita frequência, para evitar o acúmulo de dívidas. Por isso, é muito importante focar na gestão financeira da empresa e garantir a saúde das suas finanças a curto, médio e longo prazo.

Agora, além do empréstimo, você pode considerar a antecipação de recebíveis para rechear o seu capital de giro. Veja mais sobre o assunto a seguir!

Capital de giro e antecipação de recebíveis

Outra opção para garantir o seu capital de giro é contar com a antecipação de recebíveis. Você sabe o que é isso? 

Se, no caso do financiamento, você recorre ao banco para pedir um valor em dinheiro que não pertence ao seu negócio, na antecipação de recebíveis, o valor solicitado corresponde às suas vendas já realizadas, pelo cartão de crédito ou parcelamentos. Assim, você adianta um pagamento que já iria receber.

Nesse caso, você contata a administradora da sua maquininha de cartão e pede o valor antecipado das vendas já feitas, mas das quais o dinheiro ainda não caiu na sua conta.

Na Stone, você pode receber automaticamente as suas vendas da maquininha, todo dia, toda semana ou em um dia específico do mês. Saiba mais e peça sua máquina de cartão.

A vantagem dessa modalidade em relação ao empréstimo é que, no caso da antecipação de recebíveis, por mais que você tenha que pagar para receber o valor antecipado, essa taxa costuma ser bem menor do que aquela cobrada pelos bancos no caso de financiamento. 

Assim, os recebíveis antecipados cobrem a lacuna no seu capital de giro, até que o dinheiro das próximas vendas entre no caixa.

E aí, gostou do nosso conteúdo de hoje? Para mais artigos como este, não perca as novidades do Blog Papo de Balcão. Até a próxima!

Veja também

2 Comentários

  • O capital de giro é se eu depositar pra girar 50.000,00,eu tenho todo mês tipo 5.000,00 no mês na minha conta???

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja Stone e receba sua maquininha amanhã

Quer receber conteúdo de empreendedorismo sem conversa fiada no seu e-mail?

Inscrevendo-se em nossa newsletter você autoriza que o Papo de Balcão utilize os Dados Pessoais fornecidos acima para envio de conteúdo informativo e publicitário relacionado à educação financeira e negócios, nos termos de nosso Aviso de Privacidade.