Entendendo capital de giro: você no controle do seu negócio

 Entendendo capital de giro: você no controle do seu negócio

E aí, você sabe da importância do capital de giro para o seu negócio? 

Vamos falar sobre isso para que você entenda tudo sobre o conceito e também seja capaz de aplicá-lo no dia a dia da sua loja. 

É rápido. Em 3 minutos de leitura (nós contamos) você vai entender ainda mais sobre algo que realmente faz a diferença para o seu negócio. O capital de giro vai ser essencial por anos e anos, enquanto o seu negócio existir, independentemente do tamanho dele. 

Então vamos, pode dar play no cronômetro. Três minutos a partir daqui.

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Capital de giro é a quantidade de dinheiro necessária para que o seu negócio continue funcionando bem no dia a dia. 

2.

Pra garantir que você tenha sempre o capital de giro necessário, é preciso fazer diariamente o seu fluxo de caixa e acompanhar a saúde financeira do seu negócio.

3.

O prazo de recebimento das suas vendas, a data de pagamento dos fornecedores e até empréstimos são fatores que influenciam no capital de giro.

Como funciona o Capital de Giro

Na imagem abaixo, elaborada pelo Sebrae, temos uma forma bem legal de pensar em capital de giro, dá uma olhada:

Ao comprar um produto de um fornecedor, você teve que pagar por essa compra, certo? Após a compra, o produto foi para o seu estoque e, depois de alguns dias, um cliente levou esse produto e pagou por ele.

Com isso, o dinheiro do pagamento entrou no seu caixa. Porém, desde o momento em que o dinheiro saiu do seu caixa para pagar o fornecedor, até retornar (quando o cliente te paga), as contas do seu negócio pararam? Não, né? Pois é. Existe uma série de contas que continuam fixas, como pagamento de aluguel, água, luz, telefone, salário de funcionários, entre outras.

Durante esse tempo de transição, enquanto o dinheiro sai do seu caixa e volta, as contas continuam e o dinheiro para pagá-las surge do capital de giro. Que é justamente essa quantidade de dinheiro necessária para que o seu negócio continue funcionando.

Como calcular?

Por estar baseado em todas as contas que fazem parte do seu negócio, é preciso pensar em alguns custos e investimentos.

3 passos fundamentais para o cálculo
  1. Qual é seu caixa mínimo necessário para um mês? Ou seja, o quanto você precisa ter de reserva de dinheiro para pagar suas contas até receber dos clientes?
  2. Se você possui estoque inicial, ou seja, alguns produtos para já começar o negócio, qual é o valor dele? Pense em tudo que você já tem para fazer com que seu negócio flua.
  3. Sabemos que essas contas não são fáceis, mas agora vamos só trocar os nomes: tudo o que você já tem é o seu Ativo Circulante e tudo o que você precisa ter para pagar, vamos chamar de Passivo Circulante

Detalhando mais:

O Ativo Circulante (AC) você já possui disponível em caixa, estoque, mercadorias que já estão prontas para a venda, por exemplo.

O Passivo Circulante (PC) são as famosas contas: aluguel, pagamento de fornecedor, impostos a recolher.

Aplicando todos os passos

Agora que você já fez os passos anteriores, podemos ir para a próxima etapa do cálculo do  capital de giro. 

Se ainda ficou confuso, há softwares de gestão que calculam o capital de giro do seu negócio. Você também pode contratar um contador, que pode te auxiliar nesse cálculo. 

Capital de giro se faz? 

Antes de tudo, como obter capital de giro?  É preciso muito controle financeiro.

É de extrema importância você ter o controle das suas finanças, até mesmo para empreender de forma saudável.

  • Calcule todas as contas que você precisa pagar
  • Pense nos seus custos fixos mensais

A partir disso, depois que você sabe quais são os custos do seu negócio, tudo fica mais fácil. Acredite.

Controlando o capital de giro

  1. Registre seu fluxo de caixa: tenha registradas todas as entradas e saídas de dinheiro;
  2. Pense em reduzir o prazo de recebimento de dinheiro: por exemplo, teste fazer antecipações do seu a receber na maquininha de cartão; 
  3. Repense o seu estoque: na maioria dos negócios, não há necessidade de fazer grandes estoques. Muitos empreendedores acabam tendo um estoque muito maior do que o necessário. Além de não otimizar o espaço, os produtos não são usados da maneira mais eficaz. Identifique tudo o que você está comprando e entenda o que não é necessário. Esse gasto deve ser cortado;
  4. Converse com seus fornecedores: negocie. Converse sobre possíveis formas de chegarem a um valor melhor. Busque também renegociar as dívidas. Essa não é bem uma forma de obter capital de giro para o seu negócio, mas possibilita reduzir os custos e isso pode ajudar a garantir o capital de giro. 
  5. Empréstimo: indicado com muito controle financeiro. Realize um levantamento de valores antes de solicitar o empréstimo, compare taxas e juros entre os bancos e planeje quanto tempo vai demorar para pagar. Assim, você não terá dor de cabeça no futuro.

O Capital de giro não é algo “a mais”, ele é essencial

Muitos empreendedores só percebem a importância do capital de giro quando algo já deu errado e não veem mais formas de obter dinheiro. Tome cuidado, afinal ele é necessário para manter as operações do seu negócio. 

A dica de hoje é simples: realmente se dedicar na aplicação do seu capital de giro. Busque fontes diversas de arrecadação e coloque em prática tudo o que conversamos sobre controle.

Prontinho, pode pausar o cronômetro. Falei que ia ser rápido. 

Obrigada pelo papo, saiba que estamos sempre na torcida pelo seu sucesso e ótimas vendas!

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *