6 dicas e 3 conselhos do Paint & Drink para se reinventar na quarentena

 6 dicas e 3 conselhos do Paint & Drink para se reinventar na quarentena

O Paint & Drink nasceu como um negócio físico e, por conta da quarentena, teve que migrar para o digital com o objetivo de continuar com suas oficinas de arte. Conversamos com a dona da empresa, Fernanda Kobayashi, e ela contou como fez essa transição de forma rápida, conquistando excelentes resultados.

No post de hoje, trouxemos os principais aprendizados desse encontro para você também adaptar o seu negócio à nova realidade. Vem ler!

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Uma das principais atitudes do Paint & Drink para se reinventar na quarentena foi a migração para o digital. O negócio surgiu em galerias de arte, em que os cliente faziam um pequeno tour pelo espaço e, depois, realizavam oficinas de pintura conduzidas por artistas profissionais. Com o isolamento social por conta do Covid-19, Fernanda conta que teve que realizar mudanças no modelo de negócio muito rapidamente. A principal transformação foi fazer as oficinas por meio da plataforma Zoom. Os clientes recebem todo o material de arte em casa e só precisam entrar na sala virtual para começar. Lá, além dos responsáveis pela oficina, os participantes também encontram um show de jazz ao vivo, feito pela Jazz Mansion, parceira do Paint & Drink. Aliás, a construção de parcerias e a colaboração com outros pequenos negócio são outras duas atitudes que permitiram à empresa de Fernanda ter ótimos resultados.

2.

Com tantas mudanças em um curto espaço de tempo, Fernanda reforçou que os empreendedores devem estar preparados para as alterações. Para ela, os cursos sobre empreendedorismo e a conversa com outros donos de negócio foram fundamentais em sua trajetória. Um dos aprendizados que teve no caminho foi o de testar em um ambiente controlado, correndo riscos calculados. Essa foi a estratégia inicial do Paint & Drink, que começou com apenas 20 kits artísticos e sem uma estrutura de entrega definida. A partir dos bons resultados, Fernanda desenvolveu sua estratégia de logística, contratando uma transportadora para fazer as entregas e sistemas de gestão para suportar as operações. Na sua mão, ficaram: o desenvolvimento das oficinas e dos kits, o relacionamento com os clientes e com os artistas.

3.

O Paint & Drink tem como objetivo estimular a criatividade dos participantes das oficinas, oferecendo referências artísticas e um ambiente descontraído e relaxante. No contexto da pandemia, esse propósito ganhou ainda mais relevância, já que as pessoas estão cada vez mais estressadas e ansiosas, buscando válvulas de escape. Assim, a pintura acaba sendo uma forma de expressão bastante eficiente no momento. Fernanda, inclusive, aponta que setores que foquem em melhorar a saúde mental das pessoas já são uma tendência e devem crescer nos próximos anos.

1. Migração para o digital

Criado no início de 2020, o Paint & Drink é um negócio que oferece oficinas temáticas de experiência com arte, em que os clientes pintam e bebem vinho ou cerveja.

Elas são conduzidas por artistas profissionais e são focadas em um público iniciante que quer relaxar, se divertir e estimular a criatividade, mas não funcionam como um curso de arte. O Paint & Drink também oferece todo o material necessário para as pessoas realizarem as atividades, como cavaletes, telas, lixas, verniz e madeira.

Durante a experiência, além de pintarem e beberem, os clientes também entram em contato com aprendizados valiosos para terem mais familiaridade com o mundo da arte. O objetivo é democratizar o acesso aos processos artísticos e desmistificar que essa realidade é apenas para alguns poucos especialistas no assunto.

O Paint & Drink nasceu em galerias de arte, em que os clientes faziam um tour pelo espaço com a ajuda de um guia antes de começarem as oficinas. Então, com o isolamento social, a empresa teve que adaptar sua metodologia para continuar aproximando seus clientes da arte.

A saída foi a migração para o digital. Assim, Fernanda decidiu que as oficinas seriam feitas pela plataforma Zoom e que os clientes receberiam os materiais correspondentes em suas casas. Se, no espaço físico, as oficinas contavam com 16 pessoas, agora com a ajuda do virtual, esse número chegou a 86, confirmando o sucesso da iniciativa.

A dinâmica das atividades continua praticamente a mesma: as pessoas entram na sala virtual e são recebidas pelas artistas que vão conduzir o processo. Assim, mesmo distantes, as pessoas conseguem compartilhar esse momento de criatividade e relaxamento.

O ambiente digital aumentou o alcance do Paint & Drink, que, situado em São Paulo, agora leva sua experiência para diversas cidades brasileiras, como Belo Horizonte, Salvador e Rio de Janeiro.

2. Mentalidade empreendedora

Com apenas poucas edições das oficinas até a pandemia, Fernanda percebeu que teria fôlego para apenas mais 3 meses se não readaptasse seu modelo de negócio. Então, toda a migração para o digital teve que ser feita muito rapidamente.

Fernanda reforça que, para ter sucesso na mudança, foi importante ter uma mentalidade flexível, que se ajustasse às adversidades e à nova realidade. Como ela já vinha pensando dessa forma desde quando começou seu negócio, aderir à mudanças durante a quarentena não foi tão complicado.

A experimentação já fazia parte da empresa e, com a pandemia, se tornou uma prática constante. Ao mesmo tempo, Fernanda reforça que, mesmo em um contexto de experimentação, é preciso testar em uma base controlada, correndo riscos calculados e, dependendo dos resultados, ir expandindo as operações.

Além disso, como empreendedora, Fernanda se desdobra entre o marketing, o comercial, o financeiro e o atendimento no Pint_Drink. Para dar conta de tudo, ela realizou uma série de cursos focados em empreendedorismo para se preparar para sua nova trajetória. Afinal, vinha de um meio corporativo e essa seria sua primeira experiência empreendendo.

A ideia para o Paint & Drink veio depois de um curso de arte que Fernando fez em Nova York, onde descobriu a possibilidade de criar uma marca que aliasse arte e bebidas para criar um ambiente acolhedor e criativo aos frequentadores. A partir disso, ela viu uma oportunidade de negócio para trazer ao Brasil.

Fernanda diz que, como não existe um manual sobre como empreender, a saída é se preparar, conversar com quem já é empreendedor e ouvir o que essas pessoas têm a dizer.

3. Terceirização e centralização do trabalho

As oficinas de arte começaram com 20 kits que Fernanda embalou em sua casa e distribuiu de carro pela cidade aos clientes. Só depois de validar alguns pontos importantes do negócio é que ela começou a desenvolver sua estratégia e decidiu o que iria terceirizar e o que seria centralizado na sua mão.

Ela resolveu terceirizar a logística, contando com a ajuda de uma transportadora especialmente para entregar os kits aos clientes. Além disso, contou com sistemas de gestão para organizar seu fluxo de caixa e contratou uma pessoa para auxiliar com o site da empresa.

Na outra ponta, Fernanda ficou responsável pelo desenvolvimento das oficinas e dos kits artísticos, o relacionamento com os artistas e com os consumidores, respondendo suas dúvidas, seus comentários e feedbacks.

4. Construção de parcerias

Fernanda reforçou que um dos pontos fundamentais para ela ter sucesso no Paint & Drink foi estabelecer parcerias. Um dos braços da oficina é o show de jazz ao vivo, com a colaboração da Jazz Mansion.

Além disso, a empresa conta com diversos artistas parceiros que contribuem para que as oficinas sejam um ambiente acolhedor, mesmo virtualmente, e de aprendizado.

Mesmo antes dessa nova fase do negócio, o Paint & Drink já contava com a colaboração de diversas galerias que ofereciam seus espaços para a realização das oficinas. Então, encontrar pessoas com o mesmo objetivo do negócio foi essencial para a empresa alcançar seus objetivos e tornar a experiência dos clientes ainda mais relevante.

5. Apoio ao pequeno negócio

O Paint & Drink prioriza os pequenos negócios na hora de escolher seus parceiros e fornecedores, ainda mais agora durante a crise do Covid-19. Na hora de montar seus kits para as oficinas, Fernanda conta que os materiais vêm de artesãos que fornecem os cavaletes, as telas e outros itens necessários para a realização das atividades.

A opção pelos pequenos ao invés das grandes indústrias, vem do entendimento de que estas têm muito mais chances de sobreviver à crise, enquanto as PMEs são as mais prejudicadas neste momento. Criando uma rede de parcerias e solidariedade, o Paint & Drink também consegue apoiar artistas alinhados ao propósito da empresa.

6. Investimento na experiência

Um dos objetivos das oficinas de arte é auxiliar as pessoas a cuidarem de sua saúde mental, driblar o stress e a ansiedade. Afinal, atividades criativas como a pintura estimulam a gente a criar um mundo mais lúdico, sonhador e meditativo.

Principalmente agora com o isolamento social, as pessoas estão mais tensas e preocupadas, então a arte assume um papel importante neste contexto, porque dá a elas uma forma de se expressarem e relaxarem.

Por isso, o Paint & Drink se preocupa em oferecer esse tipo de experiência aos seus clientes, com o objetivo de despertar pensamentos como “eu posso” e “eu sou criativo” nas pessoas que procuram as oficinas.

Além disso, com o olhar para o futuro, Fernanda acredita que outros segmentos que se propõem a cuidar da saúde mental das pessoas, como yoga e meditação, já são uma tendência e vão crescer ainda mais.

3 conselhos de ouro

Para fechar o encontro, Fernanda deixou 3 conselhos que foram importantes na sua trajetória como empreendedora:

  1. Ligue para o seu amigo que é empreendedor ou para sua amiga que tem um ecommerce e faça perguntas, troque ideias e experiências. Com isso, você cria uma rede de aprendizados constantes e consegue lidar melhor com os desafios que vão se apresentar.
  2. Comece de algum lugar, mas comece. Se você cria uma série de objeções para iniciar seus projetos, fica paralisado pelas inseguranças e incertezas.
  3. Use o que você tem, faça o que você pode e comece de onde você está. Essa máxima traz o empreendedor para a realidade. Agora, é o momento de testar e errar, afinal ninguém sabe muito bem como o futuro vai ser.

E aí, já está colocando esses conselhos em prática no seu negócio? Esperamos que os aprendizados do Paint & Drink durante a pandemia tenham trazido insights relevantes para você adaptar a sua empresa ao momento atual.

Ficou interessado e quer participar de uma das oficinas de arte? A próxima edição online acontece no dia 27 de junho, com o tema “Arte Brasileira”!

Se você gostou deste conteúdo, pode curtir esse aqui também: 6 passos para transformar seu negócio físico em digital. Para mais informações acesse o site da paintdrink

Obrigada pelo papo e conte com a gente!

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *