Utilizamos cookies para possibilitar e aprimorar sua experiência em nosso site, de acordo com nossas políticas de privacidade e cookies.

5 dicas para entender e renegociar suas dívidas!

 5 dicas para entender e renegociar suas dívidas!

Você quer entender e renegociar suas dívidas, mas não sabe muito bem como fazer isso? Não se preocupe, o artigo de hoje foi feito para te ajudar! 

A gente sabe que, no dia a dia da empresa, situações inesperadas podem acontecer e acabar comprometendo a saúde financeira do negócio. Mas é importante não esperar muito para resolver o problema quando as dívidas aparecem. 

Então, confira nossas dicas para entender suas dívidas e ter bons resultados durante a renegociação! 

Três principais aprendizados de hoje

  1. Entender suas dívidas é importante para ter uma visão clara sobre o seu negócio. Já a etapa de renegociação dos prazos e valores pode ajudar a sua empresa a sair do vermelho mais rápido. Afinal, quanto mais tempo você demora para quitar as dívidas, mais os juros se acumulam. Além disso, ter dívidas compromete a imagem e a credibilidade do seu negócio, dificultando parcerias e condições de crédito.  
  2. O primeiro passo para entender suas dívidas é organizá-las. Esse processo ajuda a priorizar o que deve ser pago, além de deixar o controle sobre as finanças na sua mão. Com tudo organizado, é possível identificar a origem das dívidas. Empréstimos, fluxo de caixa negativo e baixa nas vendas são alguns dos fatores que contribuem para as empresas contraírem dívidas. Analisar o que gerou essa situação previne que o seu negócio se endivide novamente, já que você entende como isso aconteceu da primeira vez. 
  3. Depois, é o momento de elaborar um plano de pagamento. Para isso, você precisa fazer uma análise das suas finanças e estabelecer prazos para a quitação das dívidas. Nesse sentido, é importante contar com a projeção do fluxo de caixa, que mostra o quanto sua empresa deve receber nos próximos meses. Com isso, você tem maior previsibilidade sobre o pagamento das dívidas. Por fim, é hora de finalmente conversar com o credor em busca das melhores condições para ambas as partes. Com todas as informações levantadas por você sobre o seu negócio, mostre o seu plano para quitar as dívidas, incluindo prazos e valores. É importante passar comprometimento e credibilidade para o credor. Uma alternativa também é buscar condições mais favoráveis para a quitação das dívidas em outras instituições financeiras. 

Por que entender e renegociar as dívidas?

Renegociar suas dívidas e sair do vermelho é importante para a saúde financeira do seu negócio tanto no presente, como no futuro. As dívidas podem negativar o nome da sua empresa, o que gera maiores restrições de crédito, por exemplo. 

Além disso, com os juros sobre o valor a ser pago, a dívida se torna uma bola de neve e, a médio prazo, pode gerar inclusive problemas de gestão do negócio, pela falta de recursos. A imagem da empresa também fica comprometida, prejudicando parcerias que seriam valiosas para o seu crescimento. Mas o que fazer para  entender e renegociar suas dívidas? É o que vamos ver a seguir, confira! 

  1. Organizar as dívidas

O primeiro passo para renegociar suas dívidas é saber o que deve ser pago. Passe um pente fino em todas as suas contas para entender quais são os valores cobrados e a taxa de juros de cada despesa. 

Assim, você tem uma visão mais clara sobre o aspecto financeiro do negócio e, a partir disso, pode traçar estratégias realmente eficazes para quitar as dívidas. Tenha isso muito bem organizado, porque, na hora de falar com os credores, você sabe exatamente quais pontos abordar. 

A organização também facilita a priorização das dívidas. A partir do momento que você sabe o que deve ser pago, identifica o que é urgente e o que não precisa estar em primeiro plano agora.

  1. Descobrir a fonte das dívidas

Pensando nos aprendizados para o futuro, é interessante entender a origem das suas dívidas, também para saber por que a sua empresa não conseguiu os recursos necessários para a quitação. 

A organização, como vimos no tópico anterior, vai ajudar bastante a ter uma visão completa do seu financeiro, o que ajuda na hora de compreender o porquê de cada dívida. 

Alguns fatores que podem contribuir para que empresas se endividem são: empréstimos, fluxo de caixa negativo e baixa nas vendas. 

Às vezes, o empreendedor pede um empréstimo no banco, com um objetivo que acaba não trazendo o retorno financeiro esperado. Isso dificulta cobrir o valor recebido e pode gerar dívidas, especialmente por conta dos juros cobrados. 

O fluxo de caixa negativo por conta de um aumento de gastos pontual, por exemplo, também contribui para criar dívidas, quando as vendas não acompanham esse movimento.  

Uma baixa inesperada nas vendas também pode mexer com a estrutura financeira da empresa, caso o negócio não esteja preparado e não tenha uma reserva de emergência para momentos como esse. 

O importante aqui é entender e analisar os motivos que levaram você a contrair dívidas. Com isso, você tem mais conhecimento e controle sobre o seu negócio, evitando que essa situação aconteça novamente. 

  1. Elaborar um plano de pagamento 

Agora que você já identificou a origem das dívidas, é hora de elaborar um plano de pagamento. Uma opção é o corte de despesas. Analise suas finanças para identificar se há gastos desnecessários. 

Assim, esses recursos podem ser redirecionados ao pagamento das dívidas. No seu plano, anote o valor a ser pago e o quanto você tem disponível para quitar as dívidas. Com isso, é possível entender o montante que falta.  

Com os recursos já existentes, você pode adiantar uma parte do pagamento, gerando mais confiança por parte do credor em relação a sua empresa. Pense em estratégias e prazos para adicionar ao seu plano. Isso vai ser fundamental na hora de falar com os credores. 

Um dos elementos que não podem faltar na hora de pensar em formas de quitar suas dívidas é a projeção do fluxo de caixa, como veremos a seguir. 

  1. Projetar o fluxo de caixa

A projeção do fluxo de caixa é importante para renegociar suas dívidas, porque mostra que você tem uma estratégia traçada e metas a cumprir. Com isso, é possível estabelecer prazos mais realistas para o pagamento. 

Para realizar essa projeção, é interessante analisar o seu histórico de vendas e gastos, além de levar em consideração as perspectivas para o setor no qual o seu negócio está inserido. 

Assim, você sabe o valor que estará disponível para o pagamento das dívidas e quando isso deve acontecer. Munindo-se de todas essas informações, você se prepara para o próximo passo, que é a conversa com o credor. 

  1. Conversar com o credor 

A conversa com o credor é o momento de realmente renegociar suas dívidas. Para isso, é importante chegar nessa hora com o maior número de informações sobre o aspecto financeiro do seu negócio. 

Isso porque você precisa mostrar para o credor o seu comprometimento em pagar as dívidas e mostrar que tem os recursos necessários para fazer isso em determinado prazo. Quando você consegue dar uma perspectiva para o credor, isso aumenta a sua credibilidade, gerando uma relação de confiança com ele. 

É importante conversar sobre prazos, valores e taxas de juros, em busca de um cenário positivo para ambos os lados. Com os passos anteriores, você deve saber o quanto terá disponível e em quanto tempo, o que facilita na hora de renegociar as dívidas.  

Também é possível transferir suas dívidas para outras instituições financeiras que oferecem melhores condições de pagamento. Então, vale pesquisar as alternativas e decidir qual a melhor para o seu negócio.

E aí, o que você achou das nossas dicas? Para manter a saúde financeira do seu negócio sempre em dia, leia esse artigo com dicas que podem ajudar: Planejamento Financeiro Empresarial: O Que é e Como Fazer.

Obrigada pelo papo e conte com a gente!

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer receber conteúdo de empreendedorismo sem conversa fiada no seu e-mail?

Inscrevendo-se em nossa newsletter você autoriza que o Papo de Balcão utilize os Dados Pessoais fornecidos acima para envio de conteúdo informativo e publicitário relacionado à educação financeira e negócios, nos termos de nosso Aviso de Privacidade.