Fizemos uma live no nosso Instagram com o Guilherme Weege, do Grupo Malwee. Durante a conversa, ele contou como a empresa se adaptou em meio à crise provocada pelo Coronavírus.

Guilherme deu várias dicas para os pequenos negócios priorizarem determinados elementos e buscarem novas alternativas de atuação neste momento. Confira os principais insights deste encontro!

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Um dos grandes elementos apontados por Guilherme durante a live foi a importância do propósito para nortear as ações dos negócios. É ele que vai definir o que vai ser privilegiado e o que vai ser colocado em segundo plano. A Malwee, por exemplo, priorizou três pilares para passar pela crise atual: pessoas, negócio e operação. Para a empresa, é importante garantir a segurança dos colaboradores, o bem-estar dos clientes, a relação com os fornecedores e a eficiência das operações.

2.

Outros dois pontos reforçados pelo CEO da Malwee foram as tendências de consumo e a ajuda aos pequenos negócio. Em relação ao primeiro item, é importante entender que é o consumidor quem dita as ações das empresas. Diante da crise, deve crescer a procura por mercadorias com maior durabilidade, comprometidas com a sustentabilidade e que apresentam um bom custo-benefício. Sobre ajudar os pequenos, é essencial estimular a compra local, os negócios de bairro. Hoje, existem iniciativas nesse sentido, como o Cuide do Pequeno Negócio e o Compre do Bairro.

3.

Por fim, Guilherme deu 5 dicas para negócios familiares se manterem fortes durante o isolamento e também no futuro: apego aos valores da empresa, velocidade nas decisões, presença digital, cuidados nas relações e negociação com parceiros.

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Um dos grandes elementos apontados por Guilherme durante a live foi a importância do propósito para nortear as ações dos negócios. É ele que vai definir o que vai ser privilegiado e o que vai ser colocado em segundo plano. A Malwee, por exemplo, priorizou três pilares para passar pela crise atual: pessoas, negócio e operação. Para a empresa, é importante garantir a segurança dos colaboradores, o bem-estar dos clientes, a relação com os fornecedores e a eficiência das operações.

2.

Outros dois pontos reforçados pelo CEO da Malwee foram as tendências de consumo e a ajuda aos pequenos negócio. Em relação ao primeiro item, é importante entender que é o consumidor quem dita as ações das empresas. Diante da crise, deve crescer a procura por mercadorias com maior durabilidade, comprometidas com a sustentabilidade e que apresentam um bom custo-benefício. Sobre ajudar os pequenos, é essencial estimular a compra local, os negócios de bairro. Hoje, existem iniciativas nesse sentido, como o Cuide do Pequeno Negócio e o Compre do Bairro.

3.

Por fim, Guilherme deu 5 dicas para negócios familiares se manterem fortes durante o isolamento e também no futuro: apego aos valores da empresa, velocidade nas decisões, presença digital, cuidados nas relações e negociação com parceiros.

a importância do propósito

O primeiro ponto importante para os negócios conseguirem passar por esta e outras crises é revisitar o seu propósito e os princípios que guiam o seu negócio.

Aproximar-se dos valores da sua empresa é poder mantê-la sustentável a longo prazo, tanto no seu aspecto econômico, como humano. O propósito é o que configura toda a cultura organizacional e é ela que vai definir as ações e as prioridades do seu negócio.

priorizar e fazer escolhas

Guilherme destacou que agora é preciso priorizar itens e fazer escolhas. Ele também elencou os três principais pilares da Malwee durante este momento:

Pessoas: aqui, o fundamental é garantir a saúde e a segurança dos colaboradores, mantendo os cuidados necessários nas operações de fábrica e do escritório. Uma ideia é fazer um benchmark com outras empresas para entender como elas estão trabalhando durante o isolamento.

Negócio: neste ponto, o foco é nos clientes e nos fornecedores. Busque alternativas para ajudar os clientes e mostrar a eles que a sua empresa pode ser um porto seguro agora.

Operação: este pilar tem como objetivo garantir que os processos funcionem com as medidas necessárias, sempre relacionando este ponto aos outros dois pilares. Para isso, é preciso definir o que é prioridade e o que é secundário.

novas iniciativas

Durante a pandemia do Coronavírus, a Malwee buscou novas alternativas para se manter durante a crise e ajudar outras pessoas (físicas e jurídicas). Uma dessas iniciativas foi a produção de máscaras, toucas e aventais.

A Malwee atende, a preço de custo, empresas por todo o Brasil que buscam por esses itens tão importantes na proteção contra o vírus. Muitos negócios compram as mercadorias da Malwee e fazem doações sociais para melhorar a prevenção da doença em algumas comunidades.

Pensando em novas alternativas, Guilherme destaca a Fashion Masks. Trata-se de uma iniciativa em que costureiras podem comprar um kit a preço baixo para a produção e a venda de máscaras customizadas por elas.

tendências de consumo

Na live, Guilherme diz que o poder vem do consumidor, ou seja, é ele quem determina os rumos que as empresas vão tomar nos próximos anos. Ele acredita que, como a crise atual vai afetar a renda dos brasileiros, é provável que haja uma busca maior por produtos com mais qualidade e durabilidade.

Itens que custam um pouco mais, mas que compensam o investimento a longo prazo estarão em alta, bem como peças criadas para o conforto. Por isso, ele acredita que empresas precisam investir na qualidade dos seus produtos para serem escolhidos pelos clientes.

Nesse sentido, também serão mais valorizadas as iniciativas de sustentabilidade e proteção ao meio ambiente. Os clientes têm mais consciência sobre a importância desse aspecto e devem cobrar mais isso das empresas no futuro para um consumo consciente.

A Malwee quer estimular outros negócios a também terem a preocupação com o meio ambiente. A empresa, por exemplo, já produz modelos jeans mais sustentáveis e que exigem um consumo menor de água.

proteção dos negócios locais

Guilherme destacou a importância de iniciativas para proteger o pequeno negócio, como o Cuide do Pequeno Negócio e o Compre do Bairro.

Ambas iniciativas têm como objetivo apoiar as empresas e oferecem ferramentas e conteúdos ricos produzidos sobre temas de interesse dos empreendedores, como os de gestão financeira, gestão de crise e estoque.

Assim, os pequenos têm o suporte necessário para fazer parcerias rápidas, vender de portas fechadas, usar serviços de entrega e aproveitar as mídias sociais para divulgar o negócio.

Outro ponto importante é conscientizar a população sobre a importância de mudar hábitos de consumo e estimular a compra local, para contribuir com diversas famílias que dependem desse tipo de comércio.

Nesse sentido, é fundamental o aspecto humano para as relações que os empreendedores estabelecem com seus fornecedores e com seus clientes. Durante a crise, a solidariedade parece ter crescido e as ações para salvar os pequenos têm sido mais frequentes.

lições para empresas familiares

A Malwee é uma empresa familiar e profissional, como o Guilherme ressaltou durante nossa live. Por isso, pedimos para ele dar algumas dicas para pequenos negócios familiares neste momento de crise. Confira!

1. valores

Durante a crise e a longo prazo, as empresas não devem abrir mão dos seus valores de fundação. Como estamos falando de negócios familiares, o ambiente já é mais propício para manter esses valores fortes regendo a cultura organizacional.

Para isso, ter garra e acreditar na direção que você está dando ao seu negócio é essencial para se manter firme em momentos difíceis.

2. velocidade

Uma vantagem dos pequenos é a possibilidade de tomar decisões mais rápidas, que exigem menos burocracia. Uma dica é basear suas decisões sempre em dados e fatos, para não ser tomado pelas emoções e incorrer em erros por conta disso.

A melhor ideia precisa vencer e ela deve trazer argumentos fortes baseados em informações reais.

3. universo online

Mesmo antes do isolamento social, já era importante que os negócios tivessem presença digital. Agora, mais do que nunca, os pequenos devem se preparar para a transformação do online.

Para isso, busque aprender sobre as ferramentas virtuais que existem para impulsionar o seu negócio, bem como sobre as redes sociais disponíveis para vender mais. Dá uma olhada no nosso artigo sobre o assunto: Como divulgar o negócio nas Redes Sociais.

4. cuidado nas relações

Todas as vendas têm como base uma relação humana estabelecida. Os pequenos negócios têm o benefício de estabelecerem relações mais próximas com os seus consumidores e elas devem ser fortalecidas neste momento.

Ligar e mandar cartas à mão aos clientes são formas simples de mostrar para eles que você se importa e estreitar os laços.

5. negociação

Guilherme aponta para a importância de ser verdadeiro e transparente com os seus fornecedores neste momento.

Abra o jogo com seus parceiros para buscar as melhores alternativas para os dois lados. Se você quer algumas dicas sobre como negociar com seus fornecedores, vem ler nosso artigo: 8 dicas essenciais de como negociar com fornecedores.

Ao longo do post de hoje, vimos alguns valores fundamentais para manter o seu negócio durante momentos difíceis, como garra e propósito. Se você quer saber mais sobre esses assuntos, confira as dicas que o medalhista olímpico Bernardinho deu para quem quer aprender sobre empreendedorismo durante a quarentena.

Obrigada pelo papo e conte com a gente!