No post de hoje vamos falar sobre algo bastante temido pelos brasileiros: dívida. Crescemos ouvindo nossos pais falando sobre como dívidas são negativas e sobre como a gente não pode estar devendo pra ninguém. Na prática, a gente aprende que as coisas não funcionam bem assim e que às vezes as dívidas são necessárias. Mas você já pensou que as dívidas podem ser positivas? Continue com a gente pra entender melhor esse conceito e já aplicar no seu negócio.

TRÊS PRINCIPAIS APRENDIZADOS DE HOJE:

1.

Quando você faz uma transferência, você não precisa esperar até o dia seguinte pra que esse dinheiro esteja disponível na conta de quem recebe. Isso só acontece quando você faz um DOC. Se optar pela TED, o dinheiro cai na mesma hora. 

2.

Quando você faz uma transferência, você não precisa esperar até o dia seguinte pra que esse dinheiro esteja disponível na conta de quem recebe. Isso só acontece quando você faz um DOC. Se optar pela TED, o dinheiro cai na mesma hora. 

3.

Quando você faz uma transferência, você não precisa esperar até o dia seguinte pra que esse dinheiro esteja disponível na conta de quem recebe. Isso só acontece quando você faz um DOC. Se optar pela TED, o dinheiro cai na mesma hora. 

Dívida x investimento

Você já parou pra pensar que nem sempre é ruim ter dívidas? Elas podem ser o empurrãozinho que o seu negócio precisa para crescer. Pra começar, vamos imaginar um cenário: há um ano, você abriu um restaurante de comida saudável. Vende sucos, saladas, crepes, tapiocas, açaí e por aí vai. Seu restaurante acabou se tornando um novo point no bairro e está sempre cheio.

As coisas estão funcionando: você consegue pagar os seus funcionários em dia, quitou todos os impostos, tem um bom relacionamento com os fornecedores. Tudo tá indo bem, mas você acredita que poderia estar melhor. Você só não sabe como.

Um dia, você pensa que com a chegada do verão a procura por comidas leves deve aumentar junto com a temperatura. Seu restaurante ainda é modesto, tem só quatro mesas e você sabe que daria pra fazer uma varandinha, mas não tem dinheiro sobrando.

Conversando com outro amigo comerciante, ele te sugere pegar um empréstimo. Você reluta porque está com todas as contas em dia, pra quê se endividar? Um empréstimo para a expansão do seu negócio não é uma dívida, é um investimento. Você já parou pra pensar na quantidade de vendas que vai perder se continuar só com quatro mesas no seu restaurante?

Um empréstimo feito de forma pensada, estruturada e com um fim específico é extremamente saudável, além de ser um medidor de sucesso do negócio. Se o seu espaço ou maquinário não comportam mais o fluxo de trabalho atual da sua empresa, significa que você está gerindo ela corretamente e pode, sim, dar um próximo passo.

Como saber que é hora de pegar um empréstimo? Quando vale a pena ter dívida?

Antes de qualquer coisa, você precisa olhar com muita atenção para as suas finanças. Quanto por mês você pode comprometer? Você já sabe de quanto precisa? Já viu a taxa de juros? Aqui vão algumas dicas práticas que podem te ajudar nessa tomada de decisão:

  • Delimite bem os objetivos do empréstimo: ele precisa estar aliado às necessidades da sua empresa. Como gestor, evite misturar as coisas e pegar empréstimos para despesas pessoais, como viagens e compras não relacionadas à empresa, por exemplo.
  • Em caso de reformas, a dica é que você faça um orçamento prévio de quanto você vai gastar. Lembre-se de pensar nesse orçamento com uma certa folga, já que obra sempre tem algum imprevisto. A ideia é que você não pegue mais dinheiro do que realmente precisa
  • A capacidade de planejamento a longo prazo é fundamental. Projete quanto você vai ter de retorno a partir desse capital que você vai injetar no seu negócio. Mesmo que não dê pra cravar exatamente, você já vai ter uma ideia do lucro que virá a partir seu investimento
  • Precisa de uma máquina nova para aumentar a produção, mais uma moto pra dar uma força no delivery ou um carro pra ajudar no transporte? Esses são exemplos práticos de como o empréstimo pode ser uma boa opção. Mas não são os únicos. Você conhece as necessidades da sua empresa melhor do que ninguém.
  • Se programe para pagar as parcelas do empréstimo sempre em dia. Lembre-se que você já vai pagar juros do empréstimo, não precisa pagar, também, os juros por atraso.
  • Se a sua empresa já tem dívidas muito altas ou você está se enrolando no cartão de crédito talvez não seja a hora de pegar um empréstimo para investir em crescimento. O ideal nesses casos é procurar um crédito que tenha juros mais baixos, quitar as dívidas anteriores e só depois disso pensar em crescer com o negócio
  • Ainda seguindo a dica de procurar por juros mais baixos, pesquise bem antes de tomar um empréstimo. Existem vários tipos de empréstimo no mercado, veja o que se adapta melhor às necessidades do seu negócio

GARANTA QUE A DÍVIDA É INVESTIMENTO

Depois dessas dicas, ficou mais fácil ver que um empréstimo pode ser uma excelente saída para o seu negócio. Não tenha medo de crescer e não veja essa tomada de crédito como uma dívida.

No futuro, quando o seu negócio estiver cada vez melhor, você vai agradecer por ter pensado de forma ousada.

Mais alguma dúvida sobre isso? Comenta aqui embaixo que a gente esclarece. Conta também sobre alguma vez que você pegou crédito. Só não deixe de investir no seu negócio, ok? Acreditamos em você!

Obrigada pelo papo de hoje e boas vendas!