Acreditamos que a transparência é fundamental para a construção de um relacionamento baseado na confiança. Por isso, neste post vamos falar sobre um assunto que acreditamos que deveria ser mais abordado: a relação dos brasileiros com os bancos. Por que você paga manutenção bancária e pacote de serviços pros bancos? 

Esses são os três principais aprendizados desse post:

  1. O empreendedor brasileiro não está satisfeito com os serviços oferecidos pelos bancos. As taxas altas pesam no bolso dos donos de negócio, que gostariam de um atendimento mais personalizado, taxas melhores para tomar empréstimos e menos burocracia para realizar serviços;
  2. É muito importante que o “banco do futuro” esteja presente no digital, mas também de forma física. Ir pessoalmente ao banco não pode mais ser uma necessidade e, para isso, a sugestão é que o internet banking seja funcional e exista uma pessoa para realizar atendimento quando necessário;
  3. Os bancos tradicionais que temos hoje no Brasil cobram uma espécie de “aluguel” da conta, a chamada manutenção, que inclui um pacote de serviços. Eles podem custar por mês até R$ 70 e muitas vezes não incluem DOCs e TEDs, serviços fundamentais para o bom funcionamento financeiro das empresas.

Como o dono de negócio brasileiro se relaciona com os bancos?

A startup de pesquisa de mercado Opinion Box traçou, em 2017, o perfil dos usuários dos serviços bancários no Brasil, os chamados bancarizados. Um em cada quatro entrevistados diz só ter conta em banco por não ter escolha. Uma pesquisa feita pelo Sebrae em 2018 mostra que 61% dos micro e pequenos empresários considera o sistema bancário brasileiro ruim ou péssimo.

A Associação Brasileira de Startups (ABStartup) entrevistou micro, pequenas e médias empresas para saber quais os serviços dos bancos mais utilizados por estes empresários e também o que eles esperam destas instituições no futuro. A pesquisa é de 2016, mas os resultados são completamente atuais. 

As taxas e tarifas cobradas pelos bancos são consideradas altas e são a principal reclamação de 44% dos entrevistados. Em seguida, vem a burocracia para realizar ações nas instituições financeiras, um grande problema para 32% dos participantes da pesquisa. O atendimento ruim é ponto negativo para 24% dos empresários entrevistados. Por fim, o internet banking é considerado fraco por 16% dos participantes da pesquisa, que acreditam que os sistemas precisam de melhorias. 

A pesquisa também elencou quais os principais serviços bancários que os empreendedores brasileiros mais usam atualmente, são eles:

  • 14,5% pagamento de contas
  • 13,4% recebimento e transferências por meio de DOC/TED
  • 9,4% saque com cartão de débito em caixas eletrônicos
  • 8% débito automático em conta corrente
  • 7,8% emissão de boletos bancários registrados
  • 7,5% cartão de crédito corporativo
  • 5,5% folha de pagamento
  • 33% outros

E o futuro?

 Perguntados como deveria ser o banco do futuro, os entrevistados elencaram três pilares principais: 

  • Deve ser 100% digital, mas precisa manter-se pessoal
  • A burocracia precisa diminuir 
  • Os serviços precisam ser mais baratos

Entre as sugestões apresentadas na pesquisa estão o fim da necessidade de ir pessoalmente a agências bancárias, um atendimento ágil e personalizado, possibilitando que empreendedores que usarem mais serviços dos bancos tenham mais vantagens, transparência e menos complicação na contratação de serviços, tarifas mais justas e taxas de juros melhores para o crédito. 

 Em relação ao crédito, a pesquisa do Sebrae destrincha isso um pouco melhor. Para 51% dos empresários de pequenos negócios entrevistados, a redução dos juros também seria a medida principal que facilitaria a tomada de empréstimos. No entanto, 17% acredita que é preciso diminuir a burocracia. Outro dado importante é que 18% dos empreendedores que tiveram o pedido de crédito negado não receberam nenhuma justificativa dos bancos. Por fim, 57% dos empresários entrevistados pelo Sebrae acredita que o fatos que mais pesa na hora de tomar um empréstimo é o custo.

O que os bancos cobram?

Reclamação recorrente, as taxas cobradas pelos bancos realmente pesam no bolso e no caixa das empresas brasileiras. São vários nomes: manutenção da conta, tarifa, taxa. E, mesmo que sejam diferentes, no fim do mês eles acabam significando a mesma coisa: menos dinheiro na sua empresa e mais dinheiro nos bancos. Não é o cenário ideal, principalmente quando você está lutando todos os dias para empreender e fazer o seu negócio dar certo.

A manutenção da conta é o custo mensal que você paga pro banco para que sua conta funcione. Vamos imaginar que é como se você pagasse um aluguel pro seu dinheiro ficar no banco. Geralmente, a manutenção inclui alguns serviços, que vamos destrinchar daqui a pouco, e são os chamados pacotes ou cestas de serviços. Pagando esse valor mensalmente, você tem direito a alguns serviços e paga além do que estiver estabelecido, se usar mais produtos..

Esse valor que você paga por cada operação é o que o banco chama de tarifa. Já as taxas, são as taxas de juros. Vamos supor que você tenha um limite de cheque especial. Se você negativa a sua conta, o banco vai cobrar uma taxa de juros sobre aquele valor. Lembrando que o cheque especial nada mais é do que um empréstimo, portanto deve ser usado com moderação e apenas em casos extremos!

Pacotes de serviços

Os principais bancos do país oferecem várias opções de pacotes de serviços para pessoas jurídicas. O valor mínimo cobrado pela manutenção da conta varia bastante entre os bancos e vai de R$ 45 até R$ 70. Esse tipo de conta inclui algumas opções de crédito, financiamento e pagamentos. A princípio, o valor pode até parecer pouco, mas é bom você pensar que ao final de um ano você poderá ter pagado até R$ 840 só de taxa de administração da sua conta, sem contar as outras taxas. É bastante coisa.

Isso sem contar que as contas PJ dos grandes bancos geralmente oferecem poucos TEDs e DOCs nos pacotes. Pagando cada uma dessas transações separadamente, o valor fica em torno de R$ 10 a R$ 20 por cada transação.

E tem mais. Se você precisar usar outras funcionalidades que não estão no seu pacote e quiser saber o preço delas, provavelmente irá encontrar um arquivo de 40 páginas. Em uma delas consta essa informação, mas não vai ser fácil encontrá-la.

Nós sempre falamos aqui sobre a importância de separar as suas finanças pessoais das finanças da sua empresa. Quando você conhece exatamente quais as necessidades da sua empresa, fica mais fácil definir o que uma conta precisa ter para suprí-las.

Você também pode perceber que não quer contratar os serviços dos bancos. E tá tudo bem! Hoje você tem a opção de outros tipos de conta, como a Conta Stone, que não tem taxa de manutenção mensal e tem tarifas transparentes. Quer saber mais? Comenta aqui que a gente te explica tudo que você precisa saber.

O nosso papo de hoje fica por aqui.

Obrigada e boas vendas!